A minha São Silvestre 2015

São Silvestre - Yara Achoa

Meu “red carpet” são copinhos de plástico (Fotop)

Eu gostava de ver a São Silvestre à noite. Muito tempo antes de pensar em correr, sonhava um dia fazer parte dela. Acho até que, já pensando em fazer jornalismo, desejei trabalhar na noite de 31 de dezembro, cobrindo essa corrida que fazia parte do meu imaginário, da minha celebração de ano novo. A prova foi noturna até 1990. Depois passou para a tarde. Eu comecei a correr em agosto de 2005 e me inscrevi para minha primeira São Silvestre em 2006. Uma fratura por estresse na tíbia um mês antes da prova, porém, me impediu de participar. Chorei. No ano seguinte, 2007, finalmente estava lá, realizando meu sonho, completando os 15K em 1h35m. Repeti a dose em 2010, ano da polêmica entrega da medalha antes da prova! Minha temporada de corrida havia sido muito boa e nada melhor do que fechá-la com a alegria da São Silvestre, em 1h24m. Depois dessa participação, confesso que fiquei meio desanimada. Não exatamente com a prova, não com o clima da prova, não com a muvuca da prova, mas com o que estavam fazendo com a prova, com a falta de consideração com quem realmente é o dono da festa – ou seja, o corredor. Bom, o tempo passou, curei minhas mágoas e decidi encará-la de novo em 2015.  continue lendo

Anúncios

Viajar de bicicleta pelo Brasil: sim, é possível!

Foto Guto Gonçalves Estúdio13

Foto Guto Gonçalves Estúdio13

Quando estava buscando inspiração para escrever o post aqui do blog sobre nossa cicloviagem, lembrei-me da música A Bicicleta, de Toquinho. E ela nunca fez tanto sentido. “Sou eu que te levo pelos parques a correr. Te ajudo a crescer e em duas rodas deslizar. Em cima de mim o mundo fica a sua mercê. Você roda em cima e o mundo embaixo de você. Corpo ao vento, pensamento solto pelo ar. Pra isso acontecer basta você me pedalar…” Foi mais ou menos assim que tudo aconteceu: os três dias na estrada foram um misto de alegria infantil, gosto da mais pura liberdade e sensação de que a gente pode tudo o que quiser com nosso esforço. No final, a constatação é a de que é muito possível viajar de bicicleta e que essa experiência é mágica. continue lendo

Nasce uma ciclista

03

Foto: Guto Gonçalves | Estúdio13 @estudio13

O blog chama Eu Corro Porque… Mas em algum lugar eu escrevi u um complemento que avisa: corridas e algo mais. E é sobre esse algo mais – especificamente uma nova paixão, a bike – que vou falar nos próximos dias. Quem só gosta de corrida e não está a fim de ler nada sobre bicicleta, peço que retorne daqui alguns dias. Mas gostaria que ficasse, que experimentasse as pílulas de felicidade que a bike tem me proporcionado. continue lendo

Inspiração: Anelive Costacurta Torres

Anelive_abreA manhã de 16 de agosto de 2014 ficou marcada no mundo das corridas. Por volta das nove horas daquele sábado, um carro descontrolado, pilotado por um motorista embriagado, atropelou quatro pessoas que se exercitavam nas ruas da Cidade Universitária de São Paulo, a USP. O acidente vitimou o veterano Álvaro Teno e feriu gravemente os outros três. Entre eles estava a biomédica Anelive Costacurta Torres, mãe de dois filhos, que se preparava para sua primeira maratona. Um ano após o fatídico acontecimento, ela voltou ao esporte, recuperada, feliz e com direito a recorde pessoal nos 21K. continue lendo

Inspiração: Vanessa Borgonovi

Vanessa_finalG4aA professora Vanessa Borgonovi, 37 anos, mãe de duas meninas, se encontrou na corrida e saiu do estado de obesidade, encarando recentemente uma meia maratona. Mas ela quer mais, muito mais. Inspire-se em sua história!  continue lendo

Redescobrindo o corpo e o estilo

Processed with Moldiv

Eu adoro aqueles programas de estilo que o consultor olha o guarda-roupa da pessoa e joga fora todas as roupas dela, rsrs. Claro que depois ele dá orientação e ajuda na transformação para se vestir melhor no dia a dia. Eu sempre fico imaginando se fosse comigo… Não acho que me visto mal (todas dizem isso nos programas, rsrs), mas talvez me falte noção de como valorizar melhor meu corpo. Tenho peito pequeno, cinturinha e principalmente quadris largos (meu ponto fraco, motivo de muitas brigas com as roupas). Em compensação, acho que tenho pernas bonitas – são 10 anos de corrida, né? – e gosto dos meus ombros. Quando eu estava gordinha parecia pior. Nada caia bem, muitas vezes me sentia um saco de batata… continue lendo

Inspiração: Danielle Nobile

8 - 8_Golden4DF_flavioNasc_Arena_036

“A corrida salvou minha vida de várias maneiras”, diz a professora Danielle Nobile, de Ribeirão Preto (SP). Ela sofreu um acidente de carro em 2012, ficou tetraplégica e teve de dar um tempo ao esporte que tanto amava. Mas não se deixou abater e deu a volta por cima. Vem com a Dani e ajude-a a ir cada vez mais longe… continue lendo

Inspiração: Grete Waitz

Grete Waitz

“Para cada faixa de chegada rompida e som dos aplausos da multidão, há incontáveis horas de treino duro”, Grete Waitz, uma das maiores maratonistas do mundo, nove vezes campeã da Maratona de Nova York. Vem ver a história dela! continue lendo

Inspiração – Liège Gautério

Foto: Edu Andrade/ Folhapress (reprodução)

Foto: Edu Andrade/ Folhapress (reprodução)

No ano passado, quando eu trabalhava na redação da BOA FORMA, recebi um e-mail da educadora física Liège Pereira Gautério, de Porto Alegre (RS), com uma história inspiradora. Esportista desde sempre, ela passou por situações delicadas de saúde e teve até de se submeter a um transplante de pulmão. Na época, fiz uma matéria com ela na revista e, desde então, tenho acompanhado suas conquistas. Vem ver que garra a da LIÈGE… continue lendo