Inspiração – Maria Rita

MariaRita3Conheci a Maria Rita há uns seis ou sete anos – primeiro pelo Twitter, depois pessoalmente. Desde o início nos identificamos. Viramos amigas. E a história dela sempre me inspirou – e eu adoro contá-la. Inaugurando a seção “Inspiração” aqui do blog, com vocês, MARIA RITA

A corretora de imóveis Maria Rita de Cassia, de Manaus, começou a correr em 2003, aos 37 anos, de forma inusitada. “Minha vida se resumia a cuidar da casa, de meus gêmeos e de um marido problemático. Não tinha tempo para mim e me acomodei naquela situação achando que era meu destino. Até que o pai dos meus filhos morreu em um acidente de trânsito. Fiquei sem chão. Estava desempregada, com duas crianças para criar e com o aluguel atrasado”, conta. Sentindo-se em um beco sem saída, ela chegou a pensar no pior. “Passei a imaginar como poderia morrer sem dor e de repente. Então, certa manhã, calcei um velho tênis e sai para caminhar atrás de um abismo para me jogar. Depois de horas, percebi que Manaus não tinha abismo… Em um estradão de terra, comecei a correr até não poder mais. Foram 60 quilômetros de tristeza e de dor. No final, encontrei uma pessoa especial: eu mesma. Não parei mais.”

Ela logo começou a treinar com regularidade. Sua primeira competição foi a Meia Maratona do Rio de Janeiro, em 2004. “Foi quando percebi onde a corrida poderia me levar.” Por amar essa nova vida, também se reinventou profissionalmente para realizar seus sonhos. Maria Rita participou de provas na África do Sul, na França, nos Estados Unidos, nos Emirados Árabes e na Índia. “Gosto de correr longas distâncias, olhando a natureza, sem pressa de chegar.” 

Atualmente, seu dia começa às quatro da manhã. “Pulo da cama e calço logo o tênis para não ter tempo de desistir. Treino uma hora e meia e vou para o trabalho”. Mais do que um esporte, a corrida virou uma ferramenta de autoconhecimento. “Sabe aquela parte ruim da gente? Pois é, vai derretendo com a gordura… Aprendi a ter disciplina, superar dores, perder e ganhar e sobreviver a tudo isto.”

Maria Rita1INSPIRE-SE NA MARIA RITA

“Eu não tenho jeito para a corrida. Quando Deus me criou, tirou este talento. E deve ter tido razão para isso. Meu corpo não é de corredora. Sou baixa, larga e não me dou bem com velocidade. Correr 5K para mim é a morte – eu teria que ser rápida. E depois, comecei a correr com mais de 37 anos. Então, se não tenho talento e nem nada e gosto de correr, decidi treinar para apenas continuar correndo um pouco melhor. E tenho feito isso!”

“Um momento especial na minha vida de corredora foi a primeira prova internacional, a Comrades (89K). Inesquecível. Foi a primeira vez que eu sai do muro da minha casa. Senti emoção, gratidão, medo… Tudo num corpo só. Consegui completar a prova em quase 11 horas.”

“Há tempos deixei essa coisa de competição de lado. Não corro para baixar tempo ou ganhar de fulana e sicrana, não preciso disso. Eu quero é ser feliz correndo e, graças a Deus, tempo para isso eu tenho.”

“Dê o primeiro passo, depois outro e mais outro. Daí corra, corra atrás dos seus sonhos. O sonho de um corpo melhor, de ser uma pessoa melhor, de encontrar seu Poder Superior, de viver melhor e fazer o mundo melhor. Mas tudo isto começa com você e seu primeiro passo.”

Este slideshow necessita de JavaScript.

 Saiba mais sobre a seção Inspiração e participe você também. Vem!

Anúncios

p o d e_f a l a r

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s